Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


EUROPEIAS 2014: Resultados no distrito do Porto, por concelho

por José Pereira (zedebaiao.com), em 25.05.14

Estes foram os resultados no distrito do Porto, sendo de referir que, apesar dos socialistas terem obtido uma ligeira vitória em termos de votos a nível nacional, o facto é que José Seguro e os dirigentes nacionais socialistas não convenceram o eleitorado a nível nacional e perderam a nível europeu.

Esta é a minha opinião: 

REPRESENTATIVIDADE E LEGITIMIDADE É NULA SENHORES DIRIGENTES PARTIDARIOS!!!
DEIXEM-SE DE DESCULPAS E DE DIZEREM QUE MAIS DE 60% DE ABSTENÇÃO NÃO É MAU!!! 
NÃO SÓ É MAU, COMO É PÉSSIMO E VERGONHOSO!!!
TENHAM VERGONHA E NÃO TOMEM POSSE!!!
ESTA GENTE HOJE ELEITA NÃO REPRESENTA SEQUER METADE DOS PORTUGUESES/EUROPEUS.
Veja aqui (ou clique na imagem em baixo) todos resultados de todos os concelhos: http://www.publico.pt/europeias-2014/municipio/#porto

 

resultados eleitorais eurooeias 2014 porto

Autoria e outros dados (tags, etc)

Que te posso dizer Francisco?

por José Pereira (zedebaiao.com), em 27.02.14

Carta do Zé ao Francisco. Apesar de pouco ou nada perceber de política, sei um pouco de música e ainda consigo tocar uns instrumentos, mas não queria responder-te só com recurso à música "pimba" e dizer-te disfarçadamente "Francisquinho, meu amor". 

Francisco Assis, eleições europeias, socialista, ps, Seguro, Sócrates, José Luís Carneiro, Amarante, Porto, política

 

 

Já fui um teu acérrimo defensor, tendo inclusivamente lutado contra os meus amigos e conterrâneos (de Baião), mas coloquei sempre em primeiro lugar o que penso e aquilo em que acredito, mesmo que venha a sofrer desilusões, a errar ou a arrepender-me. É assim que aprendemos!

 

Já não nutro por ti o mesmo amor de outros tempos, nem sinto o cheiro do "perfume" que me transportava para longas planícies cheias de rosas. Não sei se encontras-te outro alguém e muito menos se havias casado com o PS em separação ou "comunhão de bens", mas o facto é que já há muito que diversos militantes e simpatizantes socialistas não vinham a compreender esse "maldito amor" que passaste a nutrir pela direita.

 

Será que te fez mal ir de Amarante para Lisboa? Se foi isso, agora imagina o que poderá fazer de ti a ida para Bruxelas. Espero que não venhas um dia a chorar pela tua "mãe querida", tal como acontece à maioria dos emigrantes, sendo que foste tu que escolheste esse rumo e a deixaste "abandonada" e "sozinha".

 

Lembra-te que os socialistas e os portugueses em geral têm boa memória e tudo "fica escrito no céu". Por isso, depois não venhas com grandes "promessas", sendo que a maioria da malta já não vai em cantigas. Podes até vir tentar "chorar no nosso colo", mas lembra-te que quem escolheu o rumo "foste tu e ela" e não sei "se as flores se vão voltar a abrir", sendo que optaste por deixar "a fera à solta" e não penses que somos todos "anjinhos e inocentes", porque isso não somos! Já foi tempo em que as ilustres elites consideravam que o lugar e o protagonismo estariam sempre garantidos e que seriam eternos. Mas não são! "São já muitos anos de vida" e a gente "até te amava", mas não admitimos "traidores".

 

Quando a gente se ama, há "pecados que são de amor"e esses deixam sempre feridas abertas!

 

Apesar de parecer um rebelde desassossegador, sempre fui e gosto de ser um mero "soldado da paz", mas face às tuas escolhas e alinhamentos, optei por "deixar-te seguir com ela" (sim, com a direita), mas "juro-te e jurarei", "não foi tudo por ciúme". Apenas luto e lutarei "para iluminar" o "sol e a lua", tal como é legitimo e permitido fazer a qualquer "trovador de mil constelações".

 

Poderia simplesmente dizer-te que "afinal havia outro"e que não tinhas de arriscar esta humilhação. Haver, até havia, mas os melhores não alinham por um rumo qualquer e muito menos com alinhamentos antecipados para a direita. Por isso, foste assim apresentado, em Santo Tirso, inesperadamente e sozinho, dando a transparecer que nem sequer conhecias devidamente "os pais da noiva". Vê lá se ao menos consegues chegar ao casamento!

 

Não sei se "mereço tanta dor", mas também não nos "contas tudo, amor". Será que teremos de reencontrar-nos com um "ex-namorado" que tenha a capacidade e coragem para nos "levar ao altar"?

 

Lembra-te que já "passa da meia noite e eu sem ti" 

 

Desculpa, mas já não consigo esperar mais.

 

Até sempre...

 

.....

 

 

Podem apelidar-me do que quiserem e até dizerem as vezes que entenderem, que sou apenas mais um "Zé rabelo lá não se sabe de onde", expressão que para mim é sempre um orgulho ouvir, sendo que me colocam do lado de povo anónimo e de um interior pobre e profundo mas que está bem mais perto da dor que já milhões de pessoas sentem.

 

Como sou um militante e cidadão comum, creio também ter o direito à minha quota parte de rebeldia, de loucura e de desassossego, mas também creio ainda ter o mínimo de lucidez e de responsabilidade, visto que o conformismo, a que nos habituaram e por vezes obrigaram, em nada vinha a melhorar a vida dos portugueses e muito menos a solucionar os problemas e dificuldades do País e da Europa.

 

Por tudo isto, por todo um passado em que tenho orgulho e que respeito, por um presente a que estou atento e por um futuro com que me preocupo e que desejo e espero venha a ser melhor, dedico-te este pequeno poema, tal e qual como sinto Portugal, o PS, os Dirigentes e os Socialistas.

 

Como não sou político nem escritor e muito menos cantor, não sei como apelidar esta escrita, mas entrego-te frontalmente e abertamente o que sinto, dizendo-te frontalmente que, por maior e incisivo discurso filosófico-político de direita que venhas a apregoar na ágora e em defesa das elites instaladas e alapadas, ou contra o discurso protofascista que os do "teu" partido encetaram e que tanto te preocupa, acredita que se te mantiveres do lado correcto não tens com que te preocupar. Agora, se te passares para o outro lado, por mais sociais democratas que possamos ser, não sei se te conseguiremos defender.

 

ESCRITO EM 27/2/2014, DEDICADO AOS SOCIALISTAS, SOBRETUDO AOS QUE ESTÃO A PASSAR POR PROCESSOS DE SUSPENSÃO E EXPULSÃO E A PENSAR NA LISTA DO PS A ENCABEÇAR PELO FRANCISCO ASSIS

 

Declaração de Princípios de um Socialista

 

Ser socialista é defender a democracia
Aceitar a diversidade e honrar-se da história
Ser solidário, defender a liberdade e a justiça
E respeitar a longa e destemida senda da glória

 

É respeitar o passado, o suor e a esperança,
Que outros conquistaram com glória e emoção
É obter dos portugueses a total confiança
E defender os valores consagrados por esta nação.

 

Ser socialista é ser um combatente
Sendo que esta luta nunca será individual,
Une-nos o verde na tralha e o vermelho na batente
E uma forma rectângular num campo desigual

 

Temos um escudo protetor sobre uma esfera armilar
E um punho que representa a sua defesa
Carregamos uma longa história já milenar
E seguimos as estrelas que nos fazem sonhar

 

O nosso orgulho é esta grandeza já conseguida
Conscientes de percursos ainda longos e por trilhar
De bandeira em punho desfraldada
Havemos em democracia fazer-te brilhar

Nunca te deixaremos entregue à bicharada
Sendo que na alegria ou na dor haveremos sempre gritar...

 

VIVA A DEMOCRACIA
VIVA A LIBERDADE
VIVA PORTUGAL

 

 

Um abraço

 

O Zé de Baião

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tenho sérias dúvidas que algum líder político consiga bons resultados sem enfrentar e apoiar a antiga, mui nobre e sempre leal Invicta Cidade do Porto. Podemos já não ter uma Avenida dos Aliados florida e muito menos uma Praça com um General carregado de cravos ou rosas, mas continuamos certamente a lutar pelos valores de Abril e do socialismo de outros tempos.

 

Constato pela agenda do SG do PS, que este parece estar com receio de enfrentar o povo e os militantes socialistas da antiga, mui nobre e sempre leal Invicta Cidade do Porto, mas que nenhum líder pense que conseguirá bons resultados sem dar e receber o apoio aos também antigos, mui nobres e sempre leais cidadãos e socialistas da segunda maior cidade do País e capital do Norte. 

 

ps porto,ps,josé luís carneiro,josé seguro,socialista, comício,eleições europeias

 

Estranho que a agenda do SG do PS (José Seguro) e do Presidente da Federação do PS - Porto (José Luís Carneiro) não tenham um pequenino espaço para receber o tradicional apoio do Porto e de todo o Distrito que sempre se mostrou unido e lutador contra o fascismo e contra o centralismo.

 

Quem se afasta do Porto não sabe os riscos que corre ou não tem coragem para enfrentar os nortenhos. Por isso também não terá certamente a melhor estratégia para defender todo o norte. 

 

A antiga, mui nobre e sempre leal Invicta Cidade do Porto sempre foi o grande pilar do norte e uma das maiores alavancas económicas do País, por isso, se pretendem o apoio dos nortenhos respeitem também o Porto.

 

É um mero alerta de um cidadão rabelo no Porto e aldeão em Baião, mas cidadão e militantes socialista atento e desassossegador. 

 

Há um povo que escreve, que canta, que grita e luta pela sua terra e pela sua pátria.

 

Portugal sempre foi, é e será nosso, bem como de todos aqueles que desejem aqui viver e não só a sobreviver.

 

Eu luto e lutarei.

 

Cidadão ou militante partidário castrado é que não - ISSO NUNCA!!!

 

A (i)responsabilidade foi, é e continua a ser nossa, SIM, NOSSA (MINHA E SUA), ou seja, DE NÓS TODOS!

 

A mudança não depende de uma pessoa, é feita com todos nós! 

 

Faça-se o que o conjunto de pessoas precisam e não o que alguns ilustres querem que façamos!

 

 

21 DE FEVEREIRO

AVEIRO
21h30 Centro Cultural e de Congressos – Auditório 2
Moderador: Pedro Nuno Santos (Presidente da Federação de Aveiro)
Alberto Souto (Consultor do Banco Europeu de Investimento, Ex-Presidente da CM de Aveiro)
Gonçalo Rocha (Presidente da Câmara de Castelo de Paiva) 
Ana Paula Vitorino (Deputada) 

BAIXO ALENTEJO
21h00 Beja Parque Hotel
Moderador: Pedro do Carmo (Presidente da Federação do Baixo Alentejo)
Vito Carioca (Presidente do Instituto Politécnico de Bragança)
João Leal (Professor do Ensino Superior e perito-avaliador das equipas de avaliação externa das instituições de Ensino Não Superior)
Gustavo Cardoso (Professor ISCTE, Coordenador LIPP)

CASTELO BRANCO
21h00 Biblioteca Municipal de Castelo Branco
Moderador: Joaquim Morão (Presidente da Federação de Castelo Branco)
Guedes de Carvalho (Professor da Universidade da Beira Interior)
Válter Lemos (Presidente do Instituto Politécnico de Castelo Branco)
Álvaro Beleza (Secretário Nacional do PS)

COIMBRA
21h00 Casa Municipal da Cultura
Moderador: Pedro Coimbra (Presidente da Federação de Coimbra)
Nuno Filipe (Coordenador do Grupo de Estudos do PS Coimbra)
Carlos Zorrinho (Deputado, Coordenador do LIPP)

GUARDA
21h00 Auditório da Associação de Comércio e Serviços do Distrito da Guarda
Moderador: José Albano (Presidente da Federação da Guarda)
Santinho Pacheco (ex-governador civil da Guarda)
João Proença (Secretário Nacional do PS)

LEIRIA
21h00 Auditório do IPDJ
Moderador: João Paulo Pedrosa (Presidente da Federação de Leiria)
Nuno Morgado (gestor de empresas)
Alzira Henriques (jurista)
Jorge Santos (Presidente da NERLEI)
Rui Grilo (Membro do Conselho Coordenador LIPP)

LISBOA
21h00 Palácio Galveias
Moderador: Marcos Perestrelo (Presidente da FAUL)
Edite Estrela (Eurodeputada)
Manuel Caldeira Cabral (Professor da Universidade do Minho, Convenção Novo Rumo)
Dalila Araújo, Assessora do Conselho Administração da PT para as autarquias (relatora)

VIANA DO CASTELO
21h00 Hotel Viana Sol
Moderador: José Manuel Carpinteira (Presidente da Federação de Viana do Castelo)
António Figueiredo (Professor Universitário, Presidente do Cons. Administração da Quaternaire)
João Cardoso Rosas (Professor Universitário, Coordenador LIPP)

VILA REAL
21h00 Chaves: Auditório Forte de São Francisco
Moderador: Rui Santos (Presidente da Federação de Vila Real)
Pedro Silva Pereira (deputado)
Seixas da Costa (Embaixador, Convenção Novo Rumo)

VISEU
21h00 Mangualde: Hotel Senhora do Castelo
Moderador: João Azevedo (Presidente da Federação de Viseu)
António Rafael Amaro (Professor da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra)
Mário Rui Silva (Professor da Universidade do Porto)
António José Seguro (Secretário-geral do PS)

22 DE FEVEREIRO

ALGARVE
Museu Municipal de Faro
15h30 Sessão de Abertura
Luís Graça (presidente da concelhia de Faro)
Miguel Freitas (deputado à Assembleia da República pelo Algarve)
António Eusébio (presidente do PS-Algarve) 
16h00 Painel temático
João Faria (Fundos Comunitários – Desafios do Próximo Quadro Comunitário 2014-2020)
Arminda Neves (Boa Governação e Criação de Emprego)
Francisco Serra (Desafios da Economia Regional) 
17h30 Sessão de Encerramento
Rui Paulo Figueiredo (dirigente nacional do PS e deputado à Assembleia da República)
Lídia Sequeira (ex-Presidente da Administração do Porto de Sines)

BRAGA
15h00 Guimarães: Pequeno Auditório do Centro Cultural de Vila Flor
Moderador: Fernando Moniz (Presidente da Federação de Braga)
Rui Reis (Professor Universitário, Diretor dos 3 D’s e Vice-Reitor da Universidade do Minho)
Manuel Caldeira Cabral (Professor da Universidade do Minho, Convenção Novo Rumo)
Nuno Cunha Rolo (Coordenador Executivo do LIPP)
António José Seguro (Secretário-geral do PS)

BRAGANÇA
16h00 A definir

PORTALEGRE
16h00 Escola Hotelaria e Turismo
Moderador: Luís Testa (Presidente da Federação de Portalegre)
Joaquim Mourato (Presidente da CCISPP)
Helena Freitas (Professora Universitária, Vice-Reitora da Universidade Coimbra)

REGIÃO OESTE
15h00 Lourinhã: Auditório do Centro Cultural Dr. Afonso Rodrigues Pereira
Moderador: Rui Prudêncio (Presidente da FRO)
Luís Pedro Miranda (Presidente da Confederação Nacional de Jovens Agricultores e do Desenvolvimento Rural)
Óscar Gaspar (Dirigente Nacional e Coordenador Económico do PS)

SANTARÉM
15h00 Sala da Assembleia Distrital de Santarém
Moderador: António Gameiro (Presidente da Federação de Santarém)
José Conde Rodrigues (Jurista, Ex-Secretário de Estado da Justiça)
Carlos Zorrinho (Deputado, Coordenador do LIPP)

SETÚBAL
16h00 Almada: Externato Frei Luís de Sousa
Moderador: Madalena Alves Pereira (Presidente da Federação de Setúbal)
Viriato Soromenho Marques (Professor Universitário)
Seixas da Costa (Embaixador, Convenção Novo Rumo)

23 DE FEVEREIRO

PORTO
12h30 Federação do Porto (O almoço e a iniciativa decorre em Santo Tirso)
Almoço com militantes do distrito com a intervenção de António José Seguro.

O programa da iniciativa será o seguinte:

 

12h30  - Almoço com Militantes do Distrito 

- Receção, Joaquim Couto

- Intervenção, António José Seguro

 15h30 - Conferência: " Um Novo Rumo para o Distrito do Porto"

- Abertura, José Luís Carneiro

- Orador, Mário Rui Silva

- Debate: Modera, Pedro Bacelar Vasconcelos

- Relatora, Teresa Sá Marques

- Encerramento Carlos Zorrinho / António José Seguro

 

Queiram aceitar este convite para, em diálogo e cooperação, ajudarmos a construir as melhores soluções para o nosso Pais e a nossa região.

  

Inscrições para o almoço e/ou convenção, através de:

226051980,  962152142,  962152187  - falar com Dalila Valentim ou Emanuel Córdova

ou por e-mail para :    psporto@ps.pt

 

O local:

 http://www.fabricasantothyrso.pt/pt/espaco/nave-cultural/page/nave-cultural

GPS

 https://maps.google.pt/maps?q=41.350381,-8.475011&hl=pt-PT&num=1&t=m&z=16

 

 

ÉVORA
15h00 Palácio D. Manuel
Moderador: Bravo Nico (Presidente da Federação de Évora)
José Manuel Caetano (Professor da Universidade de Évora)
Carlos Zorrinho (Deputado, Coordenador do LIPP)

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Governo de Portugal: H€róis ou Bandidos?

por José Pereira (zedebaiao.com), em 17.02.14

Ao ler hoje pela manhã um artigo do jornal "Financial Times" (Peter Sábio,16/2/2014)1, cuja temática aborda Portugal como o herói surpresa da UE, graças à "prosperidade das exportações e do turismo", fico a pensar se isto será verdade ou se mera campanha de propaganda neoliberal eleitoralista para as europeias, suportada por favores comunicacionais típicos da escola económica favorável à Europa neoliberal capitalista.

portugal, governo, economia, política, europa

 

O artigo de Peter Sabio refere que Portugal é o herói da prosperidade europeia, sobretudo graças ao crescimento das exportações e do turismo!?

Mas será que a maioria das famílias portugueses já sentiram a chegada do super homem?

 

Eu olho à minha volta, entre a cidade e as serras, entre o campo e o mar, e constato uma vida de miséria e de emigração que prospera na casa de milhares de portugueses. Será que estarão a falar da exportação da juventude e do turismo de ida e volta semanal dos nossos emigrantes que não encontram em Portugal oportunidades de trabalho e de vida digna?

 

O referido artigo, que se encontra ilustrado por uma entrevista ao Ministro Carlos Moedas, faz referência a uma crise que terá sido a "serva da mudança" e uma suposta alavanca que terá forçado Lisboa (o Governo) a implementar mudanças estruturais, ao mesmo tempo que refere as "despedidas lacrimosas" que tomaram conta do Aeroporto da Portela e que têm vindo a provocar o maior êxodo de jovens licenciados, na ordem dos 200 por dia. Será a esta exportação a que o Sr. Ministro se refere?

 

 

Por outro lado, refere o artigo que, a par desta miserável realidade, há uma outra que prolifera pelos movimentados shopings que "revelam um aspecto menos conhecido do ajustamento económico doloroso que tem sido encetado, em formato de sucessiva austeridade, sobre as famílias portuguesas que ninguém vem visitar nem analisar. Fala-se apenas de movimentações em aeroportos e shopings de Lisboa, mas seria relevante que os senhores jornalistas caminhassem um pouco pelo País, sobretudo interior, e constatassem por onde prolifera a miséria e não essa prosperidade que é anunciada a 100 dias das eleições europeias.

 

Realmente, os portugueses que passaram a viver uma vida de miséria são uns verdadeiros heróis, mas estes governates são uns bandidos ilusionistas.

 

Fala-se no artigo de um crescimento no último trimestre de 2013, situação que supostamente terá superado todos os outros Estados-Membro da UE, incluindo a Alemanha. Acredita mesmo nesta suposta proliferação de prosperidade?

 

É que eu só tenho constatado recessão sucessiva e as famílias portuguessas cada vez a passar mais dificuldades.

 

Bem, se olharmos para as grandes empresas e grandes capitalistas, realmente constatamos que têm ficado cada vez mais ricos e a maioria dos portugeses cada vez mais pobres. É um crescimento a caminhar para a lógica dos países de terceiro mundo, onde meia dúzia prospera e enriquece e milhões morrem à fome.

 


 

 

Neste artigo descrevem Portugal como a "nova estrela do crescimento da zona do euro", fazendo-se referência ao economista Christian Schulz, quando refere que a crise da dívida soberana da UE tem sido a "serva da mudança", a qual tem obrigado os Estados-Membro periféricos, como Portugal, a impor "amplas reformas estruturais" e a melhorar a sua competitividade das exportações. O problema é que só olham para a vida capital e em nada para a vida social e familiar. 

 

Será que os portugueses pretendem ser a estrela do capitalismo, sendo os eternos servos da mudança para a miséria, isto à custa de reformas que em vez de estruturarem e melhorarem a vida de todos os portugueses só estruturam a sustentação da riqueza dos banqueiros e dos grandes grupos económicos, favorecendo o rumo do capitalismo neoliberal desregulado?

 

É interessante a relevância que dão no artigo a um determinado foco sobre o mercado de trabalho, "onde as indemnizações foram cortadas, as demissões facilitadas, o horário de trabalho alargado, a redução dos subsídios de desemprego e a redução do alcance dos acordos coletivos de trabalho", tudo matérias que nos fazem caminhar para uma economia de grande mercado realizado à custa da mãe-de-obra barata e da diminuição das condições de vida dos portugueses.

 

Só para compreenderem a lógica com que nos vendem, chegam a referir a redução do salário, o corte das indemnizações, a facilitação dos despedimentos, o alargamento do horário de trabalho e o desemprego, a redução de salários, subsídios de desemprego e de pensões, ou seja a mão-de-obra barata e o nível de vida extremamente baixo, entre outras medidas empobrecedoras, como se fossem fatores muito positivos.

 

É óbvio que é positivo, mas só para os capitalistas que sempre gostaram de explorar os trabalhadores e a qualquer momento deslocarem as estruturas produtivas para onde a mão-de-obra seja barata e o despedimento seja fácil. Tudo a facilitar a proliferação do capitalismo.

Note-se que "o salário médio anual caiu de € 16.760 em 2010 para 16.047 € em 2012", situação que também apontam como positivo para os mercados.

 

Quando terminar o programa de ajustamento, já em junho, este Governo terá deixado para trás um rastro de devastação de famílias, de pequenas e médias empresas e de um pobreza extrema muito preocupanete e alastrante: dezenas de milhares de pequenas empresas falidas ou dotadas ao esquecimento/abandono, remunerações e pensões excessivamente reduzidas e espremidas, o aumento das desigualdades, a eliminação da classe média, milhares de portugueses a viver abaixo do limiar da pobreza, milhares de jovens emigrados e milhões de vidas destruídas, sobretudo devido ao desemprego de longa duração e à falta de apoios ao investimento.

 

Os senhores jornalistas deveriam começar a compreender que Portugal não é só Lisboa e que os verdadeiros heróis são os milhões de portugueses que lutam e sobrevivem por todo este nosso Portugal, sobretudo interior, em condições de vida miseráveis, sem esperança e sem a vislumbração de um futuro próspero.

 

Vivam os herós portugueses, sendo que os Governantes têm sido uns bandidos.

 

 http://www.ft.com/intl/cms/s/0/440e4c36-9713-11e3-809f-00144feab7de.html#axzz2tZkrMlpD 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Mensagens



Junte-se a nós no Facebook

Please wait..15 Seconds Cancel

Calendário

Agosto 2022

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031