Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


No ranking dos tarifários da água podemos constatar diferenças de centenas e euros entre municípios vizinhos, alguns dos quais banhados por rios e com a água ali tão perto, mas com os níveis de equidade muito longe das famílias.

No ranking da água, da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas (APFN), constatamos que nos distritos do Porto e de Bragança situam-se as autarquias onde o grau de desigualdade entre municípios é maior, na fatura da água, saindo mais penalizadas as famílias com mais filhos. 

Dos 308 municípios, Baião aparecia em 263 em 2020 e em 2021 desceu uma posição (com um indice de equidade -242.39), tendo caído 37 lugares de 2019 para 2020, indo a caminho do fundo da lista, onde se encontram os municípios que mais penalizam as famílias com a factura da água. Os municípios da Trofa, Santo Tirso, Gondomar e Valongo estão no fim da tabela, com os índices de equidade mais elevados, o que corresponde a maiores desigualdades.
  1 Quanto mais elevado é o valor do índice de equidade, menor é a equidade do município em referência. O índice de equidade é calculado através do nível de justiça tarifária para famílias numerosas, tendo em conta o distrito em que cada município se insere.
 

 

DISTRITO DO PORTO

1 Quanto mais elevado é o valor do índice de equidade, menor é a equidade do município em referência.

Ranking
2020
 Ranking
2019
Ranking
2018
ConcelhoÍndice
Equidade1
 
45º48º63ºFelgueiras (Porto)-103.99
55º65º72ºPóvoa de Varzim (Porto)-112.45
57º64º260ºPenafiel (Porto)-114.95
126º150º237ºPorto (Porto)-145.06
224º219º206ºLousada (Porto)-190.85
248º250º230ºPaços de Ferreira (Porto)-211.36
263º226º174ºAmarante (Porto)-242.39
263º226º196ºBaião (Porto)-242.39
270º178º176ºVila Nova de Gaia (Porto)-248.68
279º273º272ºMaia (Porto)-257.00
281º275º288ºMatosinhos (Porto)-266.35
292º291º290ºMarco de Canaveses (Porto)-288.80
298º296º280ºParedes (Porto)-350.02
301º298º295ºVila do Conde (Porto)-358.80
302º297º294ºValongo (Porto)-370.18
306º 306º158ºGondomar (Porto)-429.97
307º 307º306ºSanto Tirso (Porto)-487.05
307º 307º308ºTrofa (Porto)-487.05

 

Procure aqui por distrito ou Região Autónoma                      

 

OS 20 PRIMEIROS (Os que menos penalizam as famílias com a factura da água)

1 Quanto mais elevado é o valor do índice de equidade, menor é a equidade do município em referência.

Ranking
2020
 Ranking
2019
Ranking
2018
ConcelhoÍndice
Equidade1
 
 Lajes das Flores (Açores) *--
 Santa Cruz das Flores (Açores) *--
 Corvo (Açores)-9.55
São Vicente (Madeira)-33.37
Porto Moniz (Madeira)-36.76
11ºPonta do Sol (Madeira)-37.90
Penedono (Viseu)-42.07
19ºAmares (Braga)-43.60
10º12ºPorto Santo (Madeira)-44.30
10º11ºTerras de Bouro (Braga)-44.51
11º13º13ºGolegã (Santarém)-49.17
12º 12º27ºMeda (Guarda)-51.39
13º14º14ºCantanhede (Coimbra)-51.40
14º16º16ºSanta Cruz da Graciosa (Açores)-53.74
15º19º99ºAnadia (Aveiro)-68.37
16º20º10ºSantana (Madeira)-68.91
17º21º22ºRibeira Brava (Madeira)-72.31
18º23º37ºVila Franca do Campo (Açores)-75.78
19º27º29ºFunchal (Madeira)-78.21
20º17ºMiranda do Douro (Bragança)-78.68

 

 

OS ÚLTIMOS (Os que mais penalizam as famílias com a factura da água)

1 Quanto mais elevado é o valor do índice de equidade, menor é a equidade do município em referência.

Ranking
2020
 Ranking
2019
Ranking
2018
ConcelhoÍndice
Equidade1
 
301º298º295ºVila do Conde (Porto)-358.80
302º297º294ºValongo (Porto)-370.18
303º302º301ºTábua (Coimbra)-413.95
303º302º301ºMortágua (Viseu)-413.95
303º302º301ºSanta Comba Dão (Viseu)-413.95
306º 306º158ºGondomar (Porto)-429.97
307º 307º306ºSanto Tirso (Porto)-487.05
307º 307º308ºTrofa (Porto)-487.05


Procure aqui por distrito ou Região Autónoma <select ... ><option ... >(todos)</option></select> <select ... ><option ... >Aveiro</option></select> <select ... ><option ... >Beja</option></select> <select ... ><option ... >Braga</option></select> <select ... ><option ... >Bragança</option></select> <select ... ><option ... >Castelo Branco</option></select> <select ... ><option ... >Coimbra</option></select> <select ... ><option ... >Évora</option></select> <select ... ><option ... >Faro</option></select> <select ... ><option ... >Guarda</option></select> <select ... ><option ... >Leiria</option></select> <select ... ><option ... >Lisboa</option></select> <select ... ><option ... >Portalegre</option></select> <select ... ><option ... >Porto</option></select> <select ... ><option ... >Santarém</option></select> <select ... ><option ... >Setúbal</option></select> <select ... ><option ... >Viana do Castelo</option></select> <select ... ><option ... >Vila Real</option></select> <select ... ><option ... >Viseu</option></select> <select ... ><option ... >Região Autónoma dos Açores</option></select> <select ... ><option ... >Região Autónoma da Madeira</option></select> 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quem é o "Zé de Baião"?

por José Pereira (zedebaiao.com), em 28.09.20
O "Zé de Baião" é o perfil de um aldeão que no Porto apelidam de "rabelo". É mais um dos baionenses que se sentiu forçado a abandonar temporariamente a sua terra e a sua gente, mas mantendo o percurso de subida e descida do Rio (Douro) em busca de trabalho, de melhores condições de vida e acima de tudo para conseguir o acesso ao conhecimento e à cultura.

 

Recusa-se a permanecer satisfeito com a condição de aldeão e mesmo consigo próprio. Por isso, continua a subir e descer o rio, contrariando muitas vezes a força das correntes e continuando a lutar, a avançar, a estudar e a trabalhar, acreditando e tendo esperança que é sempre possível aprender mais e mudar e, por incrível que pareça, ainda acredita que é possível evoluir e ter sucesso com base no mérito. 
 
A estes aldeões os portuenses chamam de "rabelos",  isto porque sabem que somos incapazes de abandonar a nossa terra e a nossa gente e argumentam que andamos sempre, rio abaixo, rio acima, até nos desfazermos na passagem infeliz de um ponto qualquer, ou então, se não tivermos essa fraca sorte, até sermos abandonados nalgum recanto das margens, onde permaneceremos a desfazer-nos ao tempo implacável, tal como acontecia, noutros tempos, aos barcos rabelos.
 
Mas acreditem que podemos e devemos ter muito orgulho no apelido de "aldeão" e e de "rabelo", até porque, se a estas carcaças de madeira (já gasta e podre) os marinheiros e a gente da cidade dão o nome de "morto", não nos podemos esquecer que, por vezes, estes restos dos rabelos acabam por servir para aquecer o corpo e a alma de muitos dos citadinos que não dispõem de recursos suficientes para se recolher num lar aconchegado e nas noites frias de inverno.
 
Dizem ainda que temos as mão rudes e que utilizamos técnicas primitivas, mas esquecem-se que, destas mãos e destas cabeças, recorrendo apenas aos raios de sol, à água e à terra, temos a capacidade de fazer surgir um conjunto de coisas requintadas na sua equilibrada conceção, imponentes no seu aspeto, altivas no seu porte e mesmo verdadeiros embaixadores de uma gente, de uma pequena localidade ou mesmo de uma região e do nosso País.
 
Todos os dias que descemos o rio e nos vemos obrigados a abandonar a nossa terra e a nossa gente, sentimos o peso da carga de um barco, mas todas as vezes que subimos o rio em busca das nossas origens, dos familiares e amigos, voltamos a sentir o vencer da corrente. Podemos passar por enormes dificuldades, mas tenham a certeza que não nos deixaremos vencer por qualquer corrente, tenha ela a força que tiver. Tanto somos capazes de navegar ao sabor do vento e da corrente, como temos a força e a capacidade de a vencer.
 
Já dizia Eça de Queirós* que "a desconfiança terrível de si mesmo, que o acobarda, o encolhe, até que um dia se decide, e aparece um herói, que tudo arrasa(...) Assim todo completo, com o bem, com o mal, sabem vocês quem ele me lembra?" – Baião e Portugal.
 
 
*Eça de Queirós, “A Ilustre Casa de Ramires” (Sem esquecer a Cidade e as Serras que marcam a passagem por Baião)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Norte_Relatorio CE Demografia_envelhecimento_2020.jpg

O retrato da Região do Norte faz-se numa dupla tendência. As sub-regiões da Área Metropolitana do Porto, do Ave, Cávado, bem como Tâmega e Sousa perderam até 5 por cento da população. Já o decréscimo no Alto Minho, Alto Tâmega, Douro e Terras de Trás-os-Montes situa-se entre os 5 e os 10 por cento.

O relatório, publicado no passado mês de junho, conclui que, em determinadas regiões europeias, “o declínio da população é uma tendência prolongada, muitas vezes ao longo de décadas, e espera-se que mais regiões passem por esta situação nas próximas décadas”. Por outro lado, sabe-se que 65 por cento da população dos Estados-Membros vive em uma região onde a população cresceu entre 2011 e 2019.

O estudo acrescenta que durante a pandemia da COVID-19 a densidade populacional e a categoria de região – quer sejam urbanas ou rurais – “parecem ter sido um fatores na disseminação do vírus”. “Estima-se que o vírus tenha chegado mais cedo nas regiões urbanas e se espalhou mais rapidamente em comparação às regiões intermediárias e rurais”, lê-se no documento. 

Envelhecimento demográfico em Portugal - DetalheNoticia - om

Mais informação

Print pdf

 

Demographic trends

Norte_Relatorio CE Demografia_envelhecimento_2020_Life expectancy.jpg

 

Norte_Relatorio CE Demografia_envelhecimento_2020_Life expectancy_2.jpg

 

Norte_Relatorio CE Demografia_envelhecimento_2020_people_work_skills_EU_2001_2070.jpg

 

Norte_Relatorio CE Demografia_envelhecimento_2020_population by age_EU_2001_2070.jpg

 

 

a stylised image of two older people on a tandem bicycle
In 2018, life expectancy at birth increased to 78.2 years for men and 83.7 for women. This growth is projected to continue: men born in 2070 are expected to live 86 years, and women 90
 
 
 
6 windows show glimpses of people at home. A man and woman hug, a man sits alone at a screen, a woman plays the violin, two people share a drink, a man reads in an armchair, a woman serves food to a child.
In the EU as a whole, the composition of our households is changing – households composed of two parents with children are being joined by households consisting of people living alone, single parents or couples without children.
 
a stylised image of two women beside a pram, one is pregnant. A man cycles past with a child in a child-seat
In 2018, the average number of childbirths per woman was 1.55 and their median age at childbirth was 31.3.
 
A man carries a box, a child and a woman empty another box.
Some of us opt to move around or live abroad, but the size of these flows is volatile and can change quickly.
 
 
Two older people stand with a surfboard, taking a selfie
By 2070, 30.3% of the population is projected to be aged 65 years or older (compared to 20.3% in 2019) and 13.2% is projected to be aged 80 years or older (compared to 5.8% in 2019)
 
 
An image of a multi-ethnic group of people walking from left to right.
The share of Europe’s population in the world is shrinking and by 2070 it will account for just under 4% of the world’s population.

 

Impacts of demographic change

1

Europe’s working-age population is shrinking and we need to find ways to sustain economic growth by bringing more people into jobs and increasing productivity.

2

To deal with Europe’s ageing society, our health and care systems will have to adapt further and we will have to consider how to fund higher age-related public spending.

3

Demographic challenges often vary significantly between different parts of the same country. With some regions likely to experience rapid population change, this will lead to new opportunities and challenges, from investment to infrastructure and accessibility to access to services. Finding new solutions to support people through change will be essential.

4

Demographic change can also impact Europe’s position in the world. It’s share of global population and GDP will become comparatively smaller. This makes the need for Europe to be united, stronger and more strategic all the more important.

5

Demographic change and the twin green and digital transitions often affect, support or accelerate each other - strategic foresight will therefore be an essential tool to predict and prepare policies to address these issues.

 

The findings of the Commission’s Demography Report show that there is no one-size-fits-all approach. Policymaking needs to zoom into the reality on the ground. The European Union, Member States and regions have a shared interest in responding to demographic change for the benefit of all Europeans. Demographic change will affect everybody and must be a factor that helps steer Europe’s recovery from the crisis and provide us with insights as we build a more resilient, sustainable and fair Union.

See demographic statistics for individual EU countries

Next steps

The next steps are:

  • 2020

    Report on the impact of demographic change

  • Early 2021

    Green Paper on ageing

  • 2021

    Long-term vision for rural areas

 

Documents

DownloadPDF - 3.9 MB
DownloadPDF - 5.2 MB

  

Press contact

Susanne CONZE

Phone
+ 32 2 298 02 36

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Passe "Andante Família" chega ao Porto em 1 de junho, mas carregado de burocracias e de custos

Quando é que a interoperabilidade e simplificação administrativa chega aos Transportes Intermodais d

por José Pereira (zedebaiao.com), em 27.05.20

 

Confirme aqui toda a documentação necessária que poderá variar em função da composição do agregado familiar:
• Cartões Andante prateado em PVC de todo o agregado familiar.
• Documentos de identificação de todo o agregado familiar.
• Requerimento de Adesão.
• Declaração de Representação (caso seja necessário).
• Documento comprovativo da composição do agregado familiar emitido pela Autoridade Tributária.
• Caso o Requerente não tenha confirmado os dados do agregado familiar no site da Autoridade Tributária, é necessário apresentar também a certidão de domicílio fiscal para cada um dos elementos do agregado.

LINKS PARA DOWNLOAD E ACESSO AOS DOCUMENTOS (SEM CUSTOS):
Modelo de Declaração de Representação (caso seja necessário)

• Documento comprovativo da composição do agregado familiar emitido pela Autoridade Tributária  - (pode ter custos) > Veja aqui como obter o comprovativo, sem custos, por via do site das finanças (AT)

• Certidão de domicílio fiscal para cada um dos elementos do agregado - (pode ter custos)  > Veja aqui como obter o comprovativo, sem custos, por via do site das finanças (AT)

• Comprovativo de entrega da Declaração de IRS (Modelo 3) e a certidão de domicílio fiscal para cada um dos elementos do agregado familiar - (pode ter custos)  > Veja aqui como obter o comprovativo, sem custos, por via do site das finanças (AT)

• Certidão comprovativa da dispensa de entrega da Declaração de IRS - (pode ter custos)  > Veja aqui como obter o comprovativo, sem custos, por via do site das finanças (AT)

• Certidão do registo civil ou documento que permita estabelecer a relação de parentesco e/ou habilite a guarda ou tutela sobre os requerentes - (pode ter custos)  > Veja aqui como obter o comprovativo, sem custos, por via do site do Registo Civil (IRN)

REQUERIMENTO_ANDANTE_FAMILIA

1 - O QUE É?
Assinatura mensal atribuída a cada membro do agregado familiar que permite o pagamento total do valor equivalente a 2 assinaturas Andante 3Z / Municipal (60 euros) ou do valor equivalente a 2 assinaturas Andante Metropolitano (80 euros).

2 - QUEM PODE BENEFICIAR?
Agregados familiares (mínimo 3 elementos) com domicílio fiscal num dos 17 Municípios da Área Metropolitana do Porto.
Para usufruir do Andante Família é necessário que todos os membros do agregado familiar (requerente responsável e restantes beneficiários) sejam titulares do cartão Andante prateado em PVC. Não são aceites os cartões em PVC 4_18 e Sub23.

3 - QUEM É CONSIDERADO MEMBRO DO AGREGADO FAMILIAR?
Integram o mesmo agregado familiar o requerente responsável e as seguintes pessoas:
• Cônjuge ou pessoa em união de facto, neste caso, desde que há mais de 2 anos;
• Parentes e afins em linha reta (avó, avô, pai, mãe, sogro, sogra, filhos, netos, …) e em linha colateral (irmãos), do requerente responsável ou da pessoa que com ele se encontre em união de facto há mais de 2 anos;
• Adotados e tutelados pelo requerente responsável ou pela pessoa em união de facto, bem como menores que lhes sejam confiados por decisão judicial ou administrativa de entidades ou serviços legalmente competentes para o efeito.
É condição indispensável que todos os membros do agregado familiar tenham a mesma residência fiscal.

4 - QUE ASSINATURAS ANDANTE FAMÍLIA EXISTEM?
O Andante Família pode ser carregado como Andante 3Z, Municipal ou Metropolitano. Todos os elementos do agregado familiar carregam obrigatoriamente o mesmo tipo de assinatura, ou seja, não pode haver, por exemplo, 2 elementos com Andante 3Z e 2 elementos com Andante Metropolitano.

5 - ONDE POSSO ADERIR?
Nas lojas Andante, bilheteiras CP com venda Andante e pontos de venda Andante dos Municípios.
Os carregamentos mensais podem também ser efetuados nas Máquinas de Venda Automática localizadas nas estações de metro e da CP e nos agentes Payshop.

6 - QUAL A DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA?
• Cartões Andante prateado em PVC de todo o agregado familiar.
• Documentos de identificação de todo o agregado familiar.
• Requerimento de Adesão.
• Declaração de Representação (caso seja necessário).
• Documento comprovativo da composição do agregado familiar emitido pela Autoridade Tributária.
• Caso o Requerente não tenha confirmado os dados do agregado familiar no site da Autoridade Tributária, é necessário apresentar também a certidão de domicílio fiscal para cada um dos elementos do agregado.

7 - QUAL A VALIDADE DO PERFIL ANDANTE FAMÍLIA?
O Perfil Andante Família é atribuído a todo o agregado familiar pelo período de 12 meses após o qual terá de fazer nova prova de beneficiário.
O carregamento da assinatura é efetuado mensalmente.

8 - EXISTEM DESCONTOS SOCIAIS ASSOCIADOS AO ANDANTE FAMÍLIA?
Não. O Andante Família constitui, por si só, um desconto pelo que não existem outros descontos acumuláveis com o Andante Família.
Ex. Um cliente atual de 3ª Idade, perde automaticamente esse perfil e respetivo desconto quando adere ao Andante Família.

Andante Família chega a 1 de junho.
Assinatura Mensal para o Agregado Familiar.
22-05-2020 15:45:36

Autoria e outros dados (tags, etc)

COVID-19 Ponto de situação e outras informações oficiais diárias

por José Pereira (zedebaiao.com), em 12.03.20

Acompanhe aqui a evolução diária de casos no país e no mundo.

 

 

 

 

 

 

VER AQUI

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Mensagens



Junte-se a nós no Facebook

Please wait..15 Seconds Cancel

Calendário

Agosto 2022

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031